Europa vive boom de mão de obra barata e descartável

14/01/201802h00A noite estava caindo sobre Pardubice, na República Tcheca, e um grupo de trabalhadores com aparência fatigada emergiu de um úmido dormitório de concreto de três andares e correu para os ônibus que os aguardavam. O turno noturno de trabalho estava para começar, em duas fábricas, da Foxconn e da Panasonic, ali perto.
A maioria dos trabalhadores foi recrutada na Romênia, na Bulgária e em outros países da Europa Central, por uma grande agência de emprego.
Quando seus contratos de trabalho se encerram, eles são mandados para casa e sucedidos por novos grupos de trabalhadores migrantes.
Em toda a Europa, cerca de 55 mil agências de emprego recrutam centenas de milhares de trabalhadores temporários a cada ano, para postos de trabalho braçal e de serviços com baixos salários.
As agências oferecem aos empregadores acesso a uma força de trabalho mais flexível -e evitam alguns dos custos trabalhistas da região.
As agências que buscam trabalhadores braçais vasculham o continente em busca de pessoas para colher legumes no Reino Unido, misturar concreto na França ou operar linhas de montagem na Europa Oriental.
Embora recebam salários mensais, esses trabalhadores em muitos casos têm jornadas longas e a remuneração por hora frequentemente é de € 3,50 (R$ 14) –menos que o salário mínimo em alguns dos países em questão.

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook

Marcações: